skip to Main Content

Como criar e organizar famílias Revit da melhor maneira

Muito se fala em famílias Revit e existem várias disponíveis online, mas saber organizá-las da melhor maneira é crucial para seu modelo

No post sobre os conceitos acerca de componentes BIM, foram apresentadas algumas preocupações que devemos ter sobre seu planejamento e desenvolvimento. Hoje falaremos no caso específico do software Revit da Autodesk e de suas já famosas famílias Revit.

 

Divisão das famílias Revit

Antes de mais nada, é importante sabermos como estas famílias são divididas no software da Autodesk. São duas seções principais:

  • Famílias do sistema: são famílias que servem para criação de elementos básicos da construção (paredes, pisos, telhados, escadas, etc.) e também incluem configurações de projeto (folhas, vistas, níveis, eixos, etc.). Essas famílias são predefinidas no projeto e não são carregadas a partir de arquivos externos. Um fator interessante é a não possibilidade de deletar todos os tipos de uma família do sistema, é necessário que pelo menos um tipo exista para possibilitar a criação de novos tipos a partir desse.

  • Famílias carregáveis: são famílias que representam componentes de construção (portas, janelas, mobiliário, equipamentos de refrigeração, etc.) e também alguns elementos de anotação como símbolos e tags. Essas famílias são altamente personalizáveis possibilitando a criação de praticamente qualquer elemento da construção de forma parametrizável.

Todas as famílias contêm parâmetros customizáveis que podem ser adicionados e/ou modificados conforme a necessidade do usuário. O Revit apresenta uma biblioteca padrão de conteúdo e aos poucos mais e mais fornecedores estão disponibilizando seus catálogos em formato RFA (Revit Architecture File), entretanto é indispensável que os escritórios tenham a possibilidade de customizar suas próprias famílias para se ajustem melhor aos seus processos.

Para criação das famílias, o Revit oferece arquivos de modelo, que são baseados em diferentes categorias e opções de hospedagem. Estes são dois conceitos muito importantes e que serão abordados a seguir.

Categorias de famílias

As famílias são divididas em categorias dentro do Revit para organização e também por apresentarem comportamentos diferentes conforme a categoria. As categorias existentes são:

  • Componentes de gabinete;

  • Colunas;

  • Dispositivos de comunicação;

  • Dispositivos de dados;

  • Portas;

  • Acessório de duto;

  • Ajustes de duto;

  • Terminais de duto;

  • Equipamento elétrico;

  • Luminárias elétricas;

  • Ambiente;

  • Dispositivos de alarme de incêndio;

  • Mobiliário;

  • Sistemas de mobiliário;

  • Modelo genérico;

  • Dispositivos de iluminação;

  • Luminárias;

  • Equipamento mecânico;

  • Dispositivos de chamada de enfermeira;

  • Estacionamento;

  • Acessório hidráulico;

  • Acessórios de tubulação;

  • Vegetação;

  • Dispositivos de segurança;

  • Terreno;

  • Equipamentos especiais;

  • Sprinklers;

  • Colunas estruturais;

  • Fundações estruturais;

  • Dispositivos de telefonia;

  • Janelas.

Certas categorias do Revit não permitirão alguns comportamentos. Por exemplo, as categorias abaixo não permitem que a família seja “cortada” para que seu interior apareça, dessa forma sempre aparecerão como projeção na vista do projeto:

  • Itens de detalhe;

  • Equipamento elétrico;

  • Luminárias elétricas;

  • Ambiente;

  • Mobiliário;

  • Sistemas de mobiliário;

  • Luminárias;

  • Equipamento mecânico;

  • Estacionamento;

  • Vegetação;

  • Peças;

  • Equipamentos especiais.

DICA: Dessa forma, pode parecer trivial, mas é de suma importância que a família que represente certo componente de construção tenha sido criada na categoria adequada, caso contrário processos de coordenação e etapas posteriores ao projetos serão comprometidas.

 

Opções de hospedagem

Para objetos normalmente hospedados em outros componentes, como uma janela, é possível criar a família Revit com um modelo baseado em um hospedeiro.

As famílias podem ser hospedadas em:

  • Face;

  • Linha;

  • Parede;

  • Forro;

  • Piso;

  • Telhado;

  • Dois níveis;

Trazendo um exemplo prático do meu dia a dia, a maioria das famílias hospedadas da Portal Engenharia são baseadas em faces, por se mostrarem mais flexíveis e não exigirem que as paredes sejam copiadas/monitoradas do projeto arquitetônico.

Algumas delas, entretanto, podem ser baseadas em forro (terminais de ar da climatização) e parede, dessa forma é importante que seja feito um planejamento da escolha para cada tipo de objeto.

A escolha ainda deve levar em consideração os seguintes fatores:

  • Família baseada em face: não permite que símbolos sejam inseridos em vistas de elevação, dificultando a documentação no caso de família posicionadas em paredes.

  • Família sem hospedagem: não cria vínculo com nenhuma superfície, necessitando de atenção quando ocorrem mudanças de layout arquitetônico.

DICA: Cada escritório deverá analisar quais são seus processos e planejar o desenvolvimento das famílias de forma que adeque da melhor maneira possível.

 

Parâmetros de tipo  ou instância

Os parâmetros formam a base da inteligência de uma boa família Revit, dessa forma, é possível diferenciar dois tipos de parâmetros distintos:

  • Parâmetro de tipo: o parâmetro, quando modificado, altera todos os elementos do projeto que sejam do mesmo tipo (como fabricante, modelo e etc). As definições de parâmetro de tipo ficam acessíveis e centralizadas em um só lugar, como na janela de propriedades de tipo do Revit, por exemplo;

  • Parâmetro de instância: o parâmetro permite que, quando modificado, somente aquela instância selecionada tenha seu valor modificado, permanecendo igual em todos os outros elementos que porventura tenham no projeto. O parâmetro fica então acessível diretamente no painel de propriedades do elemento selecionado. Esse tipo de parâmetro acaba dessa maneira consumindo mais memória do projeto, já que cada elemento pode ter seu valor diferenciado.

A decisão de um pelo outro é de grande importância para a criação de um bom componente, pois ditará seu comportamento no modelo.

Por exemplo, o valor do peitoril de uma janela pode ser um parâmetro de tipo ou de instância:

  • Se for optado pelo tipo, precisaremos criar diversos tipos de família de janela para diferentes alturas de peitoril (120×120 p=120, 120×120 p=110, 120×120 p=100, etc);

  • Entretanto se for optado por um parâmetro de instância, cada janela pode ter um valor de peitoril diferente conforme a necessidade.

 

Parâmetros compartilhados ou de família

Os parâmetros no Autodesk Revit ainda são divididos em duas categorias:

  • Parâmetro de família: são parâmetros simples, normalmente usados para controlar características de geometria que não são fundamentais. Tal tipo de parâmetro não permite aparecer em tabelas nem em anotações automáticas;

  • Parâmetro compartilhado: esse tipo de parâmetro permite que seja demonstrado em tabelas e em anotações. Os parâmetros compartilhados são centralizados em um arquivo .txt, para que sejam reutilizados em outras famílias que apresentem o mesmo parâmetro (como vazão, tipo de fluído, peso, etc.) e permita que as tabelas sejam apresentadas de maneira concisa e coerente.

 

Conclusão

É possível notar que a criação das famílias no Autodesk Revit exige um processo de escolha em uma série de questões, além de planejamentos que incorporem o comportamento dos elementos dentro dos processos das empresas.

Aos poucos iremos abordar mais algumas boas práticas que consideramos essenciais para criação de boas famílias funcionais e sólidas, para assim possibilitar que mais stakeholders na indústria da construção se envolvam no mundo BIM.

Matheus Bracht

Engenheiro Civil formado pela UFSC com período de intercâmbio na TU München. Estuda BIM desde 2011 quando era bolsista do Programa de Educação Tutorial. Atualmente é gerente BIM da Portal Engenharia, escritório especializado em projetos integrados de instalações complexas, onde supervisiona a criação de modelos, define processos, padrões e templates e realiza pesquisas em interoperabilidade, gestão de projetos e integração de modelos BIM com simulações energéticas.

This Post Has One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top