skip to Main Content

Como o BIM melhora a integração entre engenheiros e arquitetos?

Entenda a importância do perfil profissional das pessoas envolvidas em um projeto BIM

De acordo com as Coletâneas GUIAS BIM da Associação Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), a efetiva implantação da metodologia BIM se baseia em três dimensões fundamentais: tecnologias, processos e pessoas.

A tecnologia obviamente refere-se a toda estrutura de softwares e também de hardware necessária para criação e manipulação dos modelos. Ao utilizamos o BIM os processosmudam, dado que temos uma nova forma de se trabalhar. É preciso alterar as exigências de detalhamento de projetos, modificar a gestão de arquivos, revisar o fluxo de trabalho. Já falamos um pouco sobre isso no nosso blog, principalmente no post sobre interoperabilidade.

O foco do post de hoje é falar sobre a terceira dimensão fundamental: as pessoas.

O perfil profissional

Acreditamos que o perfil dos profissionais envolvidos exerça um papel fundamental no sucesso de um projeto que utiliza a metodologia BIM. A cada nova versão os softwares têm colocado à disposição do mercado novas ferramentas que facilitam a criação, análise ou gestão de um projeto. É fundamental, portanto, que o profissional envolvido mantenha-se sempre atualizado sobre as novas tecnologias e ferramentas disponíveis.

Mas, principalmente, é crucial que as pessoas envolvidas nestes novos processos tenham a capacidade de trabalhar de maneira colaborativa, e que tenham visão interdisciplinar.

Muito além do projeto

Consolidou-se de certa forma no mercado a ideia de que o projeto acaba no momento da aprovação nas prefeituras. É importante entender que o produto de um projeto não é um arquivo PDF, um arquivo DWG, um pedaço de papel, ou sequer um arquivo RVT, mas sim uma construção civil eficaz.

Um projeto arquitetônico não deve apenas se preocupar com a estética de um edifício ou com o aproveitamento do espaço disponível, mas também garantir uma boa solução para os projetos de engenharia, pensando no espaço disponível no shafts ou qual o melhor local para as máquinas de climatização.

O projeto estrutural não apenas deve garantir a estabilidade da edificação mas também viabilizar o conceito arquitetônico ou ainda permitir os desvios horizontais do projeto hidrossanitário, prevendo furações de viga ou modificando seções.

O BIM fornece uma gama de informações visuais e analíticas que permitem que estudos interdisciplinares sejam feitos na etapa de projeto. A compatibilização entre disciplinasnada mais é do que identificar melhorias para cada projeto individualmente, garantido o sucesso de todos estes de maneira integrada e possibilitando a definição das soluções mais otimizadas para o projeto em questão.

A compatibilização é um trabalho 100% colaborativo, cujo principal desafio é a eficiência na comunicação durante todo o processo de projeto e obra.

É necessário um esforço grande no que tange à gestão de projetos, que pode neste processo ser feita por um profissional dedicado exclusivamente à isso, sendo contratado pela incorporadora, pela construtora, ou ainda por uma das disciplinas de projeto, sendo mais comum a arquitetura.

Dica chave

Mais do que a responsabilidade de quem exerce este papel em eleger as melhores ferramentas e metodologias para gerir o projeto, é importante que todos os profissionais entendam o valor da realização de um trabalho colaborativo, e compreendam que seu sucesso particular só ocorre quando há o sucesso de todos.

Assim como em diversas outras áreas da indústria ou de nossa sociedade, o principal obstáculo para a implantação e sucesso do BIM é a mudança de cultura. E você, já participou de alguma modelagem em BIM? Conte para a gente como foi!

 

Guilherme Pelizza

Engenheiro Civil pela Universidade Federal de Santa Catarina, trabalha com gestão da construção desde 2012. Em 2015 co-fundou a Integra Contrução Inteligente, que aplicava BIM para soluções de compatibilização de projetos, orçamento e planejamento de obras. Por dois anos foi coordenador de projetos na Canteiro AEC. Hoje atua como autônomo prestando serviços a escritórios de projetos e construtoras na área de gerenciamento e compatibilização de projetos utilizando BIM.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top