skip to Main Content

O que é IOT e como esta tecnologia junto ao BIM está criando os Smart Buildings

Descubra o que é um Smart Building, o que significa IOT (internet das coisas) e como esta tecnologia pode revolucionar as edificações através do BIM.

 

Seguindo a linha de incentivos a adoção de novas tecnologias, como o Decreto de Implementação nacional de BIM, o governo anunciou na semana passada (julho de 2018) um edital do FINEP de R$1,5 bilhões para projetos em IOT (internet das coisas).

Mas apesar de provavelmente já ter ouvido falar algo sobre o tema, você sabe o que é o IOT, como funciona e porque ele está muito relacionado com BIM?

O que é IOT?

A Internet das Coisas, abreviada do inglês como IoT (Internet of things), é um complemento da internet atual. Ela permite com que objetos do dia-a-dia, que possuam capacidade computacional e de comunicação se conectem a internet.

Carros, utensílios de cozinha e até monitores cardíacos podem ser conectados através da IoT. Assim, esses objetos poderão ser monitorados e controlados remotamente, ou até mesmo, poderão trocar informação entre si para melhorar sua eficiência de operação. E na medida que a Internet das Coisas cresce nos próximos anos, mais dispositivos se juntarão a essa lista.

Como funciona?

Assim como computadores e smartphones, esses objetos são interligados em uma rede. E então surge o primeiro desafio… Para que o IOT possa ser utilizado com máxima eficiência, nossas redes de internet móvel precisarão evoluir. A rede 5G aparece como uma saída para esse problema, apesar de ainda não ter previsão de chegar ao Brasil (em julho de 2018).

A principal proposta de valor dela não é ter velocidades de conexão mais rápidas, mas sim sua grande capacidade de comportar bilhões de dispositivos conectados ao mesmo tempo. A rede suporta 1 milhão de dispositivos conectados a cada km²!

Ela permitirá, por exemplo, que os carros autônomos possam se comunicar no trânsito, evitando acidentes e que os eletrodomésticos terão conexão automáticas a internet.

E o que BIM tem a ver com isso?

Na prática, o IOT tem diversas aplicações, desde carros autônomos que trocam informação entre si até lojas como a Amazon GO que não possui nenhum atendente nem caixa para pagamento das compras.

Entre as principais aplicações que estão diretamente relacionadas ao conceito de BIM estão os smart buildings. Afinal, a letra mais importante do BIM é o I (Informação) e essa tecnologia permite aprimorar a troca e gestão de informações sobre o uso de edifícios e residências.

O que são smart buildings?

Smart Building é uma edificação que possui um sistema com diversos sensores conectados que coletam informações sobre toda a edificação. Esses sensores coletam todos os tipos de informação, desde uso de energia, utilização de espaços e produtividade de ocupação.

Mas não são os sensores que tornam o prédios inteligentes e sim o processamento das informações geradas e os aprendizados que poderão ser aplicados na otimização do uso da edificação. Isso permite ganhos significativos em uma das etapas menos exploradas do ciclo de uma edificação, especialmente no Brasil: a manutenção.

Um carro possui vários indicadores mostrando velocidade, temperatura do motor, ou até, algum problema mecânico que possa ter ocorrido. Os sensores de um smart building permitirão que informações importantes sobre ela, desde danos ao telhado que estão causando vazamentos, problemas no sistema de ar-condicionado, ou até que temperatura de ambientes sejam monitoradas.

Ainda fazendo analogia a um carro, uma das características que analisamos ao comprar um carro é o seu consumo, quanto quilômetros já percorreu, manutenções que foram feitas e outros dados gerais sobre o histórico de uso. Por que não nos preocupamos com essas características ao analisar a compra de uma casa ou apartamento?

De acordo com outro estudo recente, proprietários de imóveis comerciais nos Estados Unidos informam que 80% das novas construções têm pelo menos uma IoT ou outra tecnologia de construção inteligente. O crescimento é impulsionado, em parte, pelo reconhecimento de que edifícios inteligentes trazem maiores taxas de arrendamento.

Já foi dada a largada no mercado

Grandes empresas estão cada vez mais mostrando interesse por essa tecnologia. A Siemens anunciou a compra da startup Enlighted, uma startup do Vale do Silício de soluções de Internet das Coisas (IoT) que fornece uma plataforma de tecnologia edifícios inteligentes. Com a tecnologia de sensores e uma rede que permite coleta de dados em tempo real e em grande volume, ela ajuda a reduzir o consumo de energia em edificações e otimizar o uso dos espaços.

Os sistemas de controle de iluminação comprovados da Enlighted, por exemplo, estão reduzindo os custos de energia em até 90% em mais de 135 milhões de pés quadrados de espaço de construção.

E para você, até onde a internet das coisas vai avançar na relação com as construções? Escreve pra gente!

Alexandre Müller

Engenheiro Civil graduado na UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina, foi um dos fundadores da Integra Construção Inteligente, uma empresa de consultoria em planejamento e orçamento de obras utilizando BIM. Em 2014, estudou na University of Southern California com dois grandes especialistas em BIM – Lucio Soibelman e Burcin Becerik-Gerber, ambos com anos de experiência na indústria, na área acadêmica e em pesquisa. Além disso, participou de uma pesquisa no i-Lab – Innovation in Integrated Informatics – sobre o uso de Laser Scanner para criação de modelos as-built.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top